Um idiota com uma ferramenta continua sendo um idiota, só que mais perigoso

Participo de maneira razoavelmente ativa da lista Scrumdevelopment, do Yahoo! Groups. É a lista original, criada pelo Ken Schwaber no início do Scrum. Bem interessante as discussões, sempre temos posts de pessoas muito influentes, e grandes nomes da comunidade Agile, como Ron Jeffries, Alistair Cockburn, o próprio Ken Schwaber e o Jeff Shuterland também, entre outros…

Como o volume de emails é gigantesco, é meio impossível acompanhar sempre todas as threads. Vez ou outra, escolho uma thread que me interesse para acompanhar. A última, que me interessou muito, foi a seguinte: “Are burndown charts required?” (em português, “Os gráficos de burndown são requeridos?”).

Enquanto a maioria das pessoas davam respostas gigantescas, explicando as mil e uma razões do porquê da importância de ter bilhões de gráficos de burndown, a resposta que o Tim Walker deu me chamou muita atenção. O Tim respondeu, em uma única linha, o seguinte:

No. Burndown charts are not required. Delivering software is.

Thanks,
Tim

Imediamente encaminhei esta mensagem para o Marcos Pereira, que deu a resposta que me motivou a escrever esse post, e me forneceu, muito oportunamente, o título desse post:

Engraçado como a galera começa a perder o foco.  Eu percebia muito isso quando criamos a mds: entregar software não era o foco. Era apenas algo no meio do processo todo. Quem não tem foco em entregar software, vai continuar sem ter, usando Scrum ou não, eles não entendem que o gráfico é uma ferramenta como qualquer outra e que é preciso alguma inteligência para decidir usar ou não.

Um idiota com uma ferramenta continua sendo um idiota, só que mais perigoso.


Marcos Silva Pereira
http://marcospereira.wordpress.com
“People who are crazy enough to think they can change the world, are the ones who do.”

Realmente. Precisamos ter inteligência para discernir o que é necessário ou não na nossa implantação do Scrum. A única coisa que eu acredito é o seguinte: antes de tentar mudar, faça o Scrum “by the book” por algumas Sprints. Conheça o processo inteiro, os valores e tudo mais, e depois tome uma decisão sensata sobre usar ou não usar certas ferramentas.

Na minha experiência com Scrum, a um primeiro momento nós meio que “desprezamos” o gráfico de Product Burndown. Agora, esse gráfico está sendo necessário para preencher uma lacuna na hora de montar o plano de releases. Resultado? Estamos voltando ao “by the book” e voltando à fazer o Product Burndown!

Tags: , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *